O sonho que virou pesadelo

ONE MORE CHANCE:  O SONHO QUE VIROU PESADELO.

No verão de 2003, Michael Jackson e sua equipe começavam a trabalhar no RETORNO. Com reuniões em Neverland, iniciava-se o planejamento de tudo o que conteria nesse retorno, que levaria Michael à novas áreas, e serviria para limpar a imagem, especialmente “danificada” depois do documentário de Bashir.
Seus problemas com a Sony tampouco ajudavam. Logo depois dos documentários, um que serviria para desmentir o de Bashir e outro que incluia gravações caseiras, ele conduziu uma apresentação nos prêmios BET em junho de 2003, para entregar um prêmio ao seu ídolo JAMES BROWN.
Isto parecia estar funcionando bem. No momento era melhor ver Michael dar um prêmio a recebe-lo.
O plano de retorno, conhecido como “MJ UNIVERSE PROJECT”, tinha como intenção mostrar Michael como alguém próximo, alguém acessível, após ter passado tantos anos levando um estilo de vida reclusivo.
O primeiro dos passos, seria levar Michael para perto de seus fãs, através de um website. Uma empresa de Vancouver chamada BLAST RADIUS, que cuidava do Layout das páginas, estaria responsável por sua nova página (a que tinha nesse momento, estava aos cuidados da SONY).
A nova conteria vídeos interativos e demais coisas, que permitiriam a Michael estar em permanente contato com seus fãs.
O próximo passo, seria abrir o Rancho Neverland, para que todos pudessem experimentar seu mundo e deixar pra trás essa imagem de lugar sinistro, que retratou o documentário de Bashir, e serviria também para gerar ingressos.
Também pensava em lançar uma linha de roupa e um parque temático no Japão.

Mas a cereja do bolo, seria o contrato que teriam com uma empresa cinematográfica em Montreal. Para Michael, o cinema sempre foi seu sonho. Em 1993, ia começar a andar por esse caminho e descer das mãos da Sony, mas as primeiras acusações de abuso de menores, o fizeram recuar e voltar à música.
Nos últimos anos, Michael havia participado de pequenos papéis em HOMENS DE PRETO 2 e na comédia de baixo orçamento MISS CASTAWAY. Seu empresário de então, Dieter Wiesner, disse que ele não queria voltar a fazer música, ele sentia que já havia feito o melhor que podia, e que estava com dificuldades de superar seu próprio trabalho.
Queria atuar, queria dirigir. Queria ser exitoso nesse âmbito também. Mas sabia que seus fãs queriam vê-lo dançar e cantar, e sentia que lhes devia isso. Não queria sair de cena sem fazer grandes shows num só lugar.
Depois de vários meses de negociações, conseguiram comprar uma empresa de animação chamada CINEGROUPE, que Michael planejava transformar numa espécie de “Pixar”. Como boas-vindas, a empresa convidou Michael a ir participando com idéias para um novo projeto chamado Pinóquio 3000. Finalmente aconteceu, mas para isso necessitava se livrar do contrato com a Sony.

O SONHO GANHA FORMA

Em outubro de 2003, Michael Jackson viajou a Las Vegas para iniciar uma série de aparições que faziam parte do plano de retorno. Para fazer sua imagem mais acessível, primeiro assinou alguns autógrafos que foram para a caridade. No sábado 25 de outubro lhe deram a chave da cidade de Las Vegas no Desert Passage Mall e três dias depois, apareceu no RADIO MUSIC AWARDS para o lançamento do single de caridade ”What More Can i Give.”

O VÍDEO DE ONE MORE CHANCE

O mais animador para os fãs de Michael, era que além disso, ele estava em Las Vegas para filmar um vídeo novo, que pertencia a um tema inédito a ser incluido numa coletânea de êxitos que seria lançada no dia 18 de novembro, O vídeo estreiaria dia 26 de novembro, ao final de um especial da CBS. Logo Michael embarcaria numa turnê promocional pela Europa, Àfrica e América do Sul.
Nick Brandt, seria o diretor do vídeo (ele já trabalhou com Michael em Earth Song e Cry)
A gravação seria nos estúdios CMX. O conceito do vídeo seria simples.
No video Michael atuaria debaixo do cenário, e o público seria quem ocuparia esse lugar, se bem que não tem correlação com o tema da canção, tem haver com a vida de Michael, que sempre foi invadida pela imprensa.

Na realidade, Michael tinha que fazer uma apresentação por contrato, para a CBS, então, buscou a maneira mais fácil de fazer uma atuação e algo que funcionaria também, como um vídeo. Então a câmera seguiria Michael em todo o momento, para dar a sensação de ser AO VIVO, ao invés de fazer cortes e mostrar cenas diferentes.

Cinco câmeras o seguiam todo o tempo. A produção contava com pouco tempo, e além disso, orçamento apertado. De fato, a equipe só teve um dia de ensaio com Michael.
Michael se apresentou nos estúdios, mostrou a Nick como seria a coreografia, e por onde se movimentaria, nas mesas que subiria, para que estivessem bem iluminadas, e isso foi tudo. Foi uma questão de três ou quatro horas. Ainda sim, Michael sabia o que faria, e não era um novato nessa área.
No entanto, seu empresário nesse momento Dieter Wiesner, conta outra história. Diz que Michael não estava satisfeito com o projeto, principalmente por causa do baixo orçamento. Conta que na verdade, a idéia de Michael não estava completamente “concluída”, já que ele queria algo maior.
Também relata que quando Michael viu o estúdio, disse que parecia o estúdio de Smooth Criminal. Mas ainda sim, fez o que tinha que fazer.
O sonho de voltar triunfante, logo se tranformou num pesadelo.

FILMANDO ONE MORE CHANCE


Na segunda-feira 17 de novembro, um grupo de figurantes esperavam na sala de espera dos estúdios CMX. Sabiam que estavam ali para gravar um vídeo e nada mais.
Somente quando assinaram os papéis contratuais viram que dizia MICHAEL JACKSON – ONE MORE CHANCE – SONY PRODUÇÕES.
No entanto, lhe disseram que ele não ia participar. Primeiramente, se usou um dublê de corpo, que ajudou a preparar as câmeras, luzes e posições.
Os figurantes se localizavam no cenário, em filas. A alguns indicaram que ficariam em primeiro plano, olhando supresos e sorrindo. Não foi um trabalho difícil.

A VISITA SURPRESA DE MICHAEL

Horas depois de iniciada a filmagem, Michael aparece pela porta dos fundos. Os figurantes recordam que ele apareceu normalmente, assim de repente, quase despercebido. Logo entre os figurantes começaram os comentários __”Oh Deus, é ele, está aqui,” ainda que fosse complicado de ver por causa do ambiente escuro do estúdio, estava óbvio, Michael chegou.
Os figurantes contam que sentiram uma vibração especial ao vê-lo, que era impossível não se entusiasmar a isso, sem gritar, sem se emocionar. Os figurantes contam que Michael os deixou expressar tudo o que sentiam, para poder fazer as gravações do vídeo, de forma mais profissional possível.

SUA MANEIRA INIMITÁVEL DE DANÇAR

Michael disparou sua atuação imediatamente, começou a movimentar-se por todo o estúdio, com seus movimentos característicos.
Ninguém estava acreditando no que via. Ainda que foi informado que atuariam agindo surpresos e emocionados, os figurantes contam que de verdade estavam. Todos estavam conscientes de estar diante da presença da estrela mais espetacular de todos os tempos, e ele estava dançando somente a eles, em perfeito estado. Entre cenas, Michael se colocava a conversar com os figurantes.
Lhes perguntava se estavam à vontade, se tinham calor. Enquanto dançava, envolvia-se em si mesmo, mas logo, ao terminar, voltava ser um homem comum.
Costumava perguntar aos figurantes se eles gostavam das coreografias, e até fazia piadinhas,ainda que, sua natureza tímida, o impedisse de se aproximar completamente. Os figurantes contam que “tinham a ordem” de não olha-lo diretamente nos olhos, por sua timidez.
Logo após fazer 5 ou 6 cenas, Michael foi embora do estúdio. Cumprimentou os figurantes e a toda equipe, e partiu. Michael deveria voltar outro dia para filmar as cenas frontais e os primeiros planos. A intenção era primeiro filmar as cenas com o público, para economizar gastos, e outro dia, trabalhar somente com Michael.
No final do vídeo tinha um simbolismo muito particular: Ele dando as costas para seu público e para o cenário, seria uma forma de mostrar suas intenções de abandonar o mercado da música e ir em busca de uma nova carreira.
Além disso, este seria seu último vídeo para SONY MUSIC. Em suma, ele estava querendo dar as costas para sua antiga carreira, para embarcar no que seria sua nova carreira: O CINEMA.

As 8:30 da manhã do dia seguinte Stuart Backerman e Marc Schaffel discutian sobre a viagem de Michael a Europa, mas foram interrompidos por um telefonema de Joe Marcus, um dos chefes de segurança de Neverland. A principio o ignoraram, mas depois o telefone de Backerman tocou e lhes disseram que prestassem atenção na televisão. E lá estavam, 70 policiais invadindo o rancho. Nesse momento, sabiam que o sonho se acabava, ao ouvirem Diane Dimond dizer que novas denuncias de abusos se levantavam contra Michael.
Michael estava deixando para trás o escândalo de Bashir e tudo se desmoronava de volta.
En Las Vegas, Dieter Wiesner foi quem deu as notícias a Michael.
Ele estava tranquilo, de muito bom humor, pensando no futuro, superando a depressão que teve por causa de Bashir, Michael estava pronto pra novas coisas. Weisner lhe disse: – Michael, há más noticias, mas pode olhar pelo lado positivo: Tem policiais invadindo sua casa.
Ele me olhou perplexo, se podia ver o sangue correndo por sua face. Mas Michael, agora é tua oportunidade de finalmente, lutar por limpar teu nome.

Os membros da equipe de filmagem, esperaram pacientes para ver o que iria acontecer. Os dados de onde estavam filmando havia vazado para a imprensa e estavam rodeados pela imprensa e fãs. Esperaram o dia todo para ver se Michael voltaria, e finalmente Michael avisou que o projeto não iria continuar.
Quando Michael soube quem era o menino que o acusava, envolveu-se em tristeza e nojo e foi quando decidiu lutar na justiça.
Era incrível, que novamente Sneedon voltava a impedir Michael de cumprir seus sonhos cinematográficos, o fez em 1993 e o repetia 10 anos depois.
O ramo do cinema, era o único que escapou de Michael, e era o que ele mais desejava. Sendo ‘One More Chance’ seu último trabalho com a Sony, Michael sentia que finalmente estava livre para lutar por esse sonho.

Jackson passou a maior parte dos dias subsequentes chorando, conta Dieter Wiesner.
” Eu estava com ele dia e noite, ele estava abatido, chorando. Não sabia o que fazer. Era uma situação horrível. Já sabia que nós íamos à Europa. Ele estava preparado para conduzir sua vida adiante e tudo estava planejado.
Era um bom momento e as notícias o abalaram profundamente, aquilo o destruiu.
Sabem, quando ficou óbvio que a acusação partiu dos Arvizo, começou verdadeiramente a lutar, disse Wiesner. Michael me disse: – ” Dieter, sabe de uma coisa, deveriam trazer este menino num grande local público, convidar toda a imprensa e ele deveria olhar nos meus olhos e me explicar porque porque fez isso”

Fonte oficial:  http://www.sawfnews.com/Entertainment/65831.aspx

Traducido por Rockin Robin para  www.MJHideOut.com http://mjhideout.com/forum/enciclopedia-mj/105470-one-more-chance-sueno-que-termino-pesadilla.html

Traduzido para o portugues por Almir

Texto atualizado , erros, paragrafos ,fotos, retirada de video invalido em 05/09/2012

Sobre PoemforMJ

Michael ... "Quando olho no dentro dos seus olhos eu sei que é verdade.Deus deve ter gasto um pouco mais de tempo em você!"
Esse post foi publicado em Decifrando Michael, fatos, Textos e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para O sonho que virou pesadelo

  1. Maria Helena Bremgartner disse:

    Meu Deus, como esse meu amor maior sofreu, e à tôa. Maldade pura ! Nada importa Mike, te amaremos para sempre !

  2. Oi, amr! Sou eu, Lais. A Invincible-louca! rs’
    Você tinha me dito para criar um blog, e foi o que eu fiz (:
    Sempre veio aqui ler os artigos e poemas maravilhosos que você, e adoro! Esse texto é triste, mas mostra o quanto One More Chance era especial para o Michael. Obrigada por postar!

  3. Gall disse:

    Poxa amiga,estou arrasada,inconsolada com essa história.Vc nem acredita a música que eu estava escutando ao começar a ler toda essa história,”much too soon,keep your head up”na verdade não parei pra entender a letra dela,nem se quer tive tempo pra traduzir,mas me subiu um sentimento de dor,de vazio e me pergunto mas porque ele,porque ele,logo ele que fez tanto pelas pessoas,que fez tantas pessoas sorrirem,porém ele sempre continuou triste,pelas atitudes que o levaram a ser tão ,tão triste.Me pergunto porque a vida é tão cruel com pessoas como Michael.Fico tentando imaginar a dor, a frustação tomando conta de uma alegria,de uma esperança que voltava brilhava no seu coração,o mundo que desabou nos seus pés.
    Sinto tanto,mas tanto…eu só poderia o amá-lo mais,sempre mais,cada vez mais e sei que ele está em um lugar bem melhor.Eu o amo muito.

    • MJJKING disse:

      é Gall .. hj quando achei esta materia e depois de um amigo traduzi-la , tanto eu como ele ficamos arrazados tambem .Pq o sonho dele estava se realizando e MJ almejava novos horizontes.. e desejava ter o seu tempo.
      One more chance tinha um sentido para ele na gravação deste clip.
      Depois o pocorrido teve outro sentido e hj outro ainda
      E eu o amo muito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s