Conspiração Michael Jackson by Afrodite Jones cap-14

“LITTLE BITTY PRETTY ONE”

“COISINHA LINDA”

Michael tirou seus óculos de sol para obter um melhor olhar da bela loira alta que entrou no tribunal: a Srta. Lauren Wallace, uma comissária de bordo que tinha o servido diversas vezes. Com seu longo cabelo loiro e sua figura perfeita acentuada por um conjunto de calças brancas e uma sexy camisola preta, a Srta. Wallace conquistou a atenção de todos do tribunal. A loira era uma das comissárias de bordo da  uma companhia aérea privada que Michael frequentemente fretava para ele, seus convidados e seus três filhos.
Enquanto a linda e jovem mulher fazia o juramento, com olhares de adoração para Michael, o pop star a olhava com uma expressão curiosa. Parecia que Michael estava atraído em algum nível por ela, mas, então, ele colocou seus óculos de leitura e começou a olhar para as notas de Mesereau. Aparentemente, Michael não queria ser distraído pela beleza da moça. Ele estava ansioso para ouvir o que ela tinha a dizer.
A Srta. Wallace não estava no vôo que Michael tinha fretado quando trouxe a família Arvizo de volta à Neverland de Miami, mas a comissária de bordo pôde fornecer ao júri informações gerais sobre o Gulfstream 4 – o jatinho particular no qual trabalhara por mais de dois anos, servindo celebridades e figuras do esporte, certificando que o serviço da companhia aérea era completamente delicioso, que as porcelanas eram polidas e os cristais brilhavam. Apenas olhando para ela, as pessoas podiam dizer que Lauren Wallace sabia como fornecer serviço aprimorado e adequado para um vôo de primeira-classe.
A Srta. Wallace identificou o Sr. Jackson como alguém a quem tinha servido muitas vezes, talvez em até 20 vôos entre 2003 e 2004. Ela explicou delicadamente que sua relação com Michael era “profissional e amigável” e disse ao júri que o Sr. Jackson tinha algumas ordens e pedidos especiais, incluindo um gosto por  e por sanduíches do Subway.
As pessoas ficaram totalmente surpresas ao ouvirem que Michael gostava de comidas tão comuns, mas ficaram ainda mais fascinadas quando descobriram que ele pedia que seu vinho fosse servido em latas de Coca Cola Diet em todos os vôos – as quais a Srta. Wallace preparava e as colocava no gelo, prontas para quando Michael embarcasse no avião.
Lauren Wallace foi muito concisa quando explicou que Michael preferia beber vinho branco em latas de Coca Cola, atestando que os outros adultos na companhia dele também bebiam vinho em latas de refrigerante. No decorrer do testemunho, o júri soube que Jackson não queria que seus filhos soubessem que ele consumia álcool. Parecia, pelo menos na opinião da comissária de bordo, que Michael era tímido, envergonhado quando se tratava de beber vinho. A Srta. Wallace disse que escondia bebidas para ele, antes dos vôos, escondendo mini-garrafas de vodka e gim no banheiro para mantê-las longe do alcance das crianças. A aeromoça testemunhou que era raro Michael beber uma daquelas garrafas escondidas, e contou aos jurados que ele bebia moderadamente durante os vôos de longa duração – normalmente, tomando um pouco de vinho, e depois, talvez, um ou dois copos de tequila ou gim Tanqueray –, nada mais.
Quando chegou a vez de Mesereau interrogar a atraente aeromoça, o advogado de defesa quis que ela explicasse mais sobre as latas de Coca Cola Diet. A Srta. Wallace confirmou que Michael pedia que vinho branco fosse colocado nessas latas em todos os vôos, pois ele queria ter certeza de que os adultos pudessem beber com discrição. Mesereau perguntou à Srta. Wallace sobre o interrogatório policial no qual ela tinha declarado que “o Sr. Jackson não queria que seus filhos o vissem bebendo”, mas a aeromoça não conseguiu explicar por que Michael Jackson tinha desenvolvido aquele hábito.
As pessoas presentes na Corte depois comentaram sobre o comportamento secreto de Michael em relação ao álcool. Alguns achavam que isso era o resultado da rígida educação que o pop star tinha recebido, especulando que Michael poderia ter aprendido a esconder álcool na juventude, quando ainda fazia parte de uma religião que proibia celebrações e festas. Outras pessoas comentavam sobre a paranóia do astro, sobre suas experiências com empregados e membros de sua equipe que podiam “vender” pequenos detalhes de sua vida privada à tabloides. Mas não havia nenhuma maneira de uma pessoa normal compreender o pensamento de Michael. A maioria das pessoas não vive num mundo onde acordos confidenciais tornam-se um regular estilo de vida.
“Você se lembra de ter dito aos xerifes de  Santa Barbara que nunca viu crianças intoxicadas nos vôos em que o Sr. Jackson estava presente?”, Mesereau perguntou.
“Eu nunca vi crianças intoxicadas nos vôos do Sr. Jackson”, a Srta. Wallace respondeu.
“E você entendeu que o Sr. Jackson queria que seu vinho fosse servido em latas porque ele fica nervoso durante os vôos?”.
“Sim”.
“E, Srta. Wallace, você está familiarizada com o chamado „Perfil de Passageiros‟ das pessoas que voam pela Extrajet?”
“Sim”.
“Você poderia, por gentileza, explicar ao júri o que um „Perfil de Passageiros‟ é?”
“Um „Perfil de Passageiros é um perfil com base em cada passageiro, com suas preferências e exigências, e as de seus amigos e familiares. São notas, basicamente, de modo que, se outra aeromoça ou outra pessoa entra para trabalhar com esse cliente específico, fica ciente de alergias ou preferências”.
A Srta. Wallace explicou que o perfil de passageiro de Michael Jackson não era algo que ele havia dado à Extrajet – era um resultado de informações recolhidas ao longo do tempo. Como Lauren Wallace não tinha visto o perfil recentemente, Mesereau lhe entregou o perfil para que ela pudesse se familiarizar com os detalhes.
Mais uma vez, o advogado pediu à Srta. Wallace para confirmar o pedido do Sr. Jackson de manter o vinho branco em garrafas de refrigerante em todos os vôos. Isso havia se tornado uma importante questão no julgamento, já que, nos depoimentos de Star e Gavin, os dois meninos afirmaram que, no vôo de Miami para Santa Barbara, Gavin tinha compartilhado uma garrafa de Coca Cola Diet com Michael. Os irmãos asseguraram que, ao invés de refrigerante, Gavin – com 13 anos de idade na época – estava bebendo vinho. No entanto, a Srta. Wallace não estava à bordo nessa viagem, então, não pôde dar nenhum parecer sobre os pedidos de Gavin.
Para o júri, o documento de “Perfil de Passageiros” da Extrajet foi incluído como evidência, fornecendo detalhes sobre os hábitos alimentares de Michael, Prince, Paris e Prince II. Isto era o que dizia:

PERFIL DO PASSAGEIRO

Nome do passageiro: Michael Jackson

Preferências alimentares

1. Café da manhã: peitos de frango do KFC, purê de batatas, milho, biscoitos, ovos mexidos com geleia de morango, molho e manteiga de spray. Salmão defumado, roscas de milho com baixo teor de gordura, creme de queijo com baixo teor de gordura. Travessa de frutas e frutas inteiras (especialmente laranjas, uvas, maçãs e bananas).

2. Almoço: peitos de frango do KFC, purê de batatas/molho separado, espiga de milho, biscoitos com geleia de morango e manteiga de spray. Se viajar por um número de dias consecutivos, vai experimentar outras formas de frango, mas ainda do KFC.

3. Jantar: peitos de frango do KFC, purê de batatas/molho separado, espiga de milho, biscoitos com geleia de morango e manteiga de spray.

4. Sobremesa: Raramente pede sobremesa, mas pedirá um Sunday uma a cada dez vezes que você voar com ele. Come, em sua maioria, chicletes e balas de sobremesa. Ou vai pegar uma fruta inteira.

Preferências de bebidas

Vinho branco em garrafas de Coca Cola Diet em todos os vôos. 7-UP * [marca de refrigerante. N.T.], Crush * de laranja [marca de refrigerante. N.T.] ou ponche de frutas.
* Às vezes bebe tequila, gim ou whisky Crown Royal.

Comentários adicionais

Gosta de chiclete Big Red, e várias outras gomas de mascar e balas. Vai comer queijo, biscoitos e pratos de frutas em vôos curtos. Passageiro muito tímido, mas pode sair de sua cadeira durante a decolagem e a aterrissagem. Esteja preparado para limpar bastante quando ele desembarcar.

* Nada de chocolate, manteiga de amendoim, brócolis ou alimentos de cheiro muito forte.

PERFIL DO PASSAGEIRO

(Preparado de acordo com o pai e a babá)

Nome dos passageiros: Prince, Paris e Prince Michael II Jackson
Idades: 6 e 5 anos, e 20 meses.
Preferências alimentares

1. Café da manhã: peito de frango grelhado, ovos mexidos com ketchup, purê de batatas, milho ou espigas de milho com manteiga de spray. 1/4 de um biscoito ou pãozinho. Cereais sem açúcar com leite desnatado ou com baixo teor de gordura. Frutas – inteiras ou cortadas, especialmente laranjas, maçãs, uvas e bananas. NADA DE AÇÚCAR.

2. Almoço: peito de frango sem pele e grelhado do KFC, purê de batatas sem molho (muda frequentemente – pergunte ao MJ), milho ou espigas de milho com manteiga de spray. 1/4 de biscoito ou pãozinho. NADA DE PELE DE GALINHA! Sanduíches de peru do Subway ou sanduíches simples de trigo sem alface, tomate, queijo ou qualquer outro acompanhamento. Comerão purê de batatas e milho pra acompanhar. Frutas ou iogurte desnatado para a sobremesa.

3. Jantar: O mesmo do almoço. Normalmente, vão pedir a mesma coisa que o pai está comendo em todas as refeições, mas ele vai determinar o que é permitido comer. Gostam de biscoitos.

4. Sobremesa: Frutas, iogurte de baunilha congelado, iogurte de uvas passas.

Preferências de bebidas Sucos variados, leite.

Comentários adicionais
Paris adora fazer biscoitos e vai tentar comer o açúcar. Ela boa em bajular pra conseguir doces. As crianças gostam de chicletes sem açúcar antes e após o vôo. OK para biscoitos e mel no chá.

Família/Amigos: Pergunte ao MJ sobre o que ele quer que seus filhos comam. A babá (Grace) também poderá informar sobre o que deve ser servido às crianças se o pai estiver dormindo ou ocupado. Se há conflito de informações, informar à Grace o que MJ falou e servir as crianças com o que MJ solicitou.
Grace vai alimentar o bebê: purê do KFC, milho, peito de frango cortado e grelhado, biscoitos, uvas, suco de maçã e/ou leite.
NADA de manteiga de amendoim, NADA de pele de frango, NADA de chocolate ou açúcar.
Havia uma nota separada no perfil revelando as informações de contato de Evvie Tavasci, assistente de longa data de Michael, assim como folhas em anexos dos “perfis” de outras três crianças [não os Arvizos] e de um menino chamado Elijah, que mais tarde foi chamado como primo de Michael. Foram anotadas as preferências alimentares do segurança de Michael, Joe, também as de sua babá, Grace, e seu famoso advogado de Miami, Al Malnik, conhecido por ter sido o advogado do mafioso Meyer Lansky.
Em relação às mini-garrafas de álcool que a aeromoça disse que “escondia” no banheiro, Mesereau perguntou por que elas não tinham sido mencionadas no perfil de Michael. Quando Lauren Wallace explicou que esconder as tais garrafas tinha sido algo que ela própria havia pensado em fazer, que nunca tinha sido um pedido do Sr. Jackson, o personagem sinistro que o promotor estava tentado criar sobre Michael foi totalmente derrubado. A Srta. Wallace disse ao júri que escondeu as mini-garrafas foi um gesto atencioso de sua parte. A loira falou que informou ao Sr. Jackson sobre as “garrafas secretas”, para que ele apenas soubesse que a bebida estava lá “à sua disposição”.
Quando a Srta. Wallace deixou o banco das testemunhas, era óbvio que tinha sido um privilégio para ela servir Michael Jackson e sua família. Poucos dias depois, quando outra aeromoça foi chamada, a que tinha estado no vôo particular em que os Arvizos estavam com Michael, repentinamente o quadro se tornou mais vivo. A segunda comissária de bordo, Cindy Bell, também era uma mulher atraente, uma loira com um lindo sorriso. Ela parecia completamente capaz, segura de si, e muito feliz em ver Michael. Mesmo sob aquelas circunstâncias.
A Srta. Bell tinha uma doce expressão no rosto enquanto fixava os olhos no pop star, que gentilmente balançou a cabeça pra frente e pra trás em sua cadeira atrás da mesa da defesa. Cindy Bell iniciou seu depoimento, explicando que, quando trabalhou como aeromoça no vôo de Miami para Santa Barbara, ela serviu a Michael Jackson uma garrafa de vinho branco – a qual ele não queria que seus filhos soubessem que estava bebendo.
A jovem mulher testemunhou que serviu um pouco de vinho à Janet Arvizo   e que também serviu às meninas, Davellin e Marie Nicole, drinques, rum e Coca Cola, que foram especificamente solicitados por Davellin e Marie Nicole. Michael corou durante o depoimento da Srta. Bell e pareceu um tanto envergonhado com isso. Ficou bem claro que não queria que as pessoas soubessem que ele consumia qualquer tipo de álcool. Mas a vergonha de Michael sobre o consumo de bebidas alcoólicas foi logo ofuscada pelas informações sobre Davellin Arvizo, que testemunhara que nunca tinha bebido álcool até após a viagem à Miami com Michael Jackson, jurando que Michael havia a apresentado ao álcool em sua adega secreta.
Sob juramento, Davellin afirmou que a primeira vez que experimentou uma bebida alcoólica foi quando Michael estava junto. Davellin disse que o álcool tinha um gosto que ela não gostava, mas o júri ouviu da Srta. Bell que a garota estava pedindo drinques no vôo sem o conhecimento de Michael.
Para o júri, Cindy Bell descreveu o vôo como lotado, com 12 pessoas a bordo, e disse que Gavin Arvizo era um “pássaro estranho” que agia de modo esquisito na presença de Michael – não estava embriagado – mas simplesmente muito rude e desordenado. A Srta. Bell caracterizou o garoto como alguém que a tratava como uma empregada. A aeromoça lembrou que Gavin jogou sua mochila pra ela e contou que o menino começou a exigir serviços a partir do momento em que pisou no avião. Ela descreveu Gavin como um rapaz exigente, que insistiu que seu frango não estava quente o suficiente, pedindo que sua comida fosse separada em pratos diferentes. A comissária de bordo contou aos jurados que fez comentários arrogantes sobre o serviço de toalhas dos passageiros, falando pra ela sobre o como as toalhas deveriam estar e sobre a quantidade de toalhas no banheiro, como se ele fosse seu chefe.
Cindy Bell também mencionou que Gavin começou uma guerra de comida, jogando purê de batatas num médico que estava dormindo no momento, cuidando de suas coisas. Ela disse que os filhos de Michael e o resto dos passageiros no avião estavam muito bem comportados. De acordo com a Srta. Bell, Michael foi extremamente educado, conversando com a babá e o médico e brincando com Prince e Paris no vôo.
A comissária de bordo estava familiarizada com os filhos de Michael, e falou que eles eram sempre muito bem educados, garantindo ao júri que Michael fazia questão disso. A Srta. Bell achou que era incomum Michael não ter intervindo quando Gavin começou a bagunça, e também achou muito estranho o fato de a mãe do garoto não ter tentado parar o mau comportamento do filho.
Quando foi mostrado um diagrama do plano das cadeiras do avião, Cindy Bell disse que Michael estava sentado ao lado de Gavin, e lembrou ter visto Michael “abraçar” o garoto em certo momento. De acordo com a Srta. Bell, Michael parecia estar tentando confortar Gavin, colocando ao mesmo tempo seu braço em volta do menino por alguns instantes.
O testemunho de Cindy Bell levou todos às risadas quando ela foi solicitada à descrever o que “abraçar” parecia – como se isso fosse um gesto misterioso.
“Você quer que eu mostre o que é „abraçar‟?”, ela perguntou ao promotor com um olhar de descrença absoluta.
Quando foi interrogada pela defesa, um tema que se destacou durante todo o testemunho da Srta. Bell foi o de que Gavin Arvizo era uma criança intolerável, nada comportada. Ela não achava que o garoto estava embriagado, de modo algum, embora ela tenha pensado que, talvez, Michael estivesse sentindo os efeitos do vinho que tinha lhe servido. Ela falou que Jackson parecia relaxado durante o vôo e dormiu em boa parte do tempo.
Enquanto o testemunho de Cindy Bell continuava, ficou bem claro que a aeromoça se ressentia do comportamento agressivo do garoto e não parecia apreciar sua atitude para com ela. A Srta. Bell descreveu um momento em que Gavin entrou na galeria para pedir um refrigerante de laranja, mostrando o relógio que Michael lhe dera. Na opinião de Cindy Bell, Gavin agia como se estivesse sob a proteção de Jackson.
A Srta. Bell tinha sido apresentada ao júri para depor sobre a possibilidade de Michael Jackson estar embriagado e ter agido de forma irresponsável naquele vôo, mas essa tática não deu certo. Os jurados ficaram surpresos com a descrição do comportamento de Gavin.
A simpática e muito bonita Cindy Bell tinha vindo à Santa Maria para testemunhar em nome da promotoria, mas, em vez disso, conseguiu jogar todo o julgamento em favor de Michael, descrevendo o pop star como um quieto cavalheiro de “fala mansa”. A Srta. Bell disse que nunca viu Michael Jackson servir qualquer tipo de bebida alcoólica, ou mesmo qualquer tipo de bebida, para o jovem acusador.
“O garoto [Gavin] foi absolutamente rude, foi detestável”, Cindy Bell disse ao júri, “Quando eu lhe servi a comida, ele falou: „Isso não ta quente, não está do jeito que deveria‟. Foi embaraçoso tê-lo a bordo, pra ser sincera”.

Sobre PoemforMJ

Michael ... "Quando olho no dentro dos seus olhos eu sei que é verdade.Deus deve ter gasto um pouco mais de tempo em você!"
Esse post foi publicado em Conspiração Michael Jackson by Afrodite Jones e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s