Conspiração Michael Jackson by Afrodite Jones cap-31

I WANT YOU BACK

“TE QUERO DE VOLTA”

Os jurados ficaram atônitos enquanto observavam o apresentador do Tonight Show, o comediante Jay Leno, andar rumo à sala da Corte no início da manhã. A defesa tinha chamado a estrela de TV, conhecido por seu humor Jackson, para falar sobre algo muito sério. Ao longo dos anos, Jay Leno tinha sido um grande defensor de instituições de caridade. Ele fazia um belo trabalho com organizações de crianças, entre elas, Phone Friends e Make-A-Wish.
Mesereau pediu à Leno que descrevesse o tipo de ligações que recebia de crianças doentes, crianças hospitalizadas que precisavam de um apoio, e o comediante falou sobre os telefonemas de crianças que pediam coisas simples, perguntas sobre Britney Spears, perguntas sobre outros artistas que tinham visto em seu programa. Leno explicou que não seguia um procedimento exato. Se recebia um pedido de uma organização legítima, ele faria uma lista de crianças que queriam receber uma ligação. A cada semana, Leno fazia 15 ou 20 telefonemas para as crianças que queriam conversar com ele.
Leno contou ao júri que ligou para crianças de todo o país, geralmente mandando, após o telefonema, presentes como chapéus, fotos e outros presentinhos do programa. Ele mencionou que tinha um assistente que selecionava as ligações, mas falou que estava “bastante acessível”, tanto através do número principal do Tonight Show quanto o seu número pessoal do programa.
“Quantos anos você tem ajudado organizações de crianças como as que acabou de descrever?”, Mesereau perguntou.
“Bom, eu venho fazendo o Tonight Show há 13 anos mais ou menos… E certamente, deve ser esse mesmo tempo. E antes disso, mais informalmente”, Leno respondeu.
“E o seu trabalho com as crianças envolve simplesmente conversar com elas por telefone, ou você faz visitas e coisas desse tipo?”
“As duas coisas.”, Leno contou, “Às vezes com a organização Make-A-Wish, você tem uma situação em que… Essas são especialmente tristes, porque, às vezes, são crianças com doenças terminais. Eles dizem: „Olha, esse garoto tem 15 anos e sempre quis fazer um passeio num Lamborghini‟, ou algo assim.”

Jay Leno descreveu muitas coisas que fizera para as crianças, como a realização de leilões para arrecadar dinheiro com itens autografados por celebridades, doações para instituições de caridade, distribuição de ingressos pro seu programa. Leno disse que, às vezes, levava uma criança à sua garagem pra mostrar sua coleção de carros; outras vezes, levava aos bastidores do The Tonight Show, pra pegar um microfone e fingir ser a apresentadora. O comediante falou que era bem variado, numa base individual, e testemunhou que, na maioria das vezes, ele fazia apenas um telefonema. Parecia que grande parte das crianças ficava muito feliz com isso.
“Você, às vezes, rejeitava solicitações de pais ou de crianças?”, Mesereau perguntou.
“Eu não sei se „rejeitar‟ é bem a palavra certa. Se passa por uma organização legítima, não, você não os rejeita.”, Leno disse a ele, “Mas, às vezes, você começa a estranhar, sabe, algo como „Eu sou um fazendeiro. Nossas colheitas não estão boas, nosso trator está quebrado, os nossos campos não estão indo bem…‟ e o endereço era de Brooklyn, Nova York. Então, você fica meio: „Hmmmm… Isso parece um pouco suspeito.‟. Então, sabe, você os toma numa base em que seleciona caso por caso.”

Quando Mesereau perguntou a Jay Leno sobre a facilidade que as pessoas tinham em contatá-lo diretamente na NBC, Leno disse ao júri que as pessoas podiam fazer uma ligação pro seu programa e, às vezes, ele pegava o telefone e gastava quase uns 10 minutos, tentando convencer a pessoa que era realmente ele. Quanto mais Leno falava sobre como era fácil encontrá-lo, mais o comediante fazia todos no tribunal rirem.
“Eles ligam pro estúdio para falar com você diretamente?”, Mesereau questionou.
“Sim, e eu provavelmente vou receber muito mais ligações depois disso.”, Leno respondeu, “Meu respondeu vai tocar amanhã o dia inteiro. Valeu por isso!”
“Se eles ligam para o estúdio, eles conseguem falar com você?”
“Às vezes, eles conseguem falar direto comigo, na verdade. Sim, eles conseguem. Até hoje, eles poderiam chegar em mim com facilidade. Até poucos momentos atrás, você poderia chegar em mim muito facilmente!”
Leno fez todos no tribunal se acabarem de rir.
Mas Mesereau e Jackson não estavam interessados em piadas.
Jackson não ria, nem um pouco.
Jackson queria que o júri ouvisse sobre o telefonema que Leno recebeu de Gavin Arvizo, ele queria que Mesereau perguntasse à Leno sobre sua conexão com o dono do Laugh Factory, Jamie Masada. Foi Masada que inicialmente contou à Leno sobre um menino que estava morrendo por uma forma estranha de câncer.
“Você lembra de que, alguns anos atrás, você recebeu uma chamada de uma criança de nome Gavin?”, Mesereau questionou.
“Sim.”, Leno testemunhou.
“E quando aproximadamente isso aconteceu?”
“Bem, vamos ver… Foi há alguns anos… Acho que em 2000, talvez.”
“E você soube que Gavin tinha câncer?”
“Sim.”
Leno lembrou que tinha ouvido sobre o câncer de Gavin, e falou que a circunstância foi um tanto confusa, explicando que algumas de suas conversas sobre Gavin pareciam acontecer constantemente, mas se lembrou de falar com a mãe de Gavin. Leno disse que fez uma ligação para o hospital, e o telefonema foi transferido pro quarto, e então, ele conversou com Gavin, possivelmente seu irmão e sua mãe.
“Então, como você ficou sabendo sobre Gavin?”, perguntou Mesereau.
“Eu tinha recebido uma série de mensagens de voz dele. Foi assim que eu fiquei sabendo.”, respondeu Leno.
“E você indicou, Sr. Leno, que acha que conversou com a mãe de Gavin, certo?”
“Acho que sim. Sim.”
“Ok. E você se lembra se ela te ligou ou se foi você quem ligou pra ela?”
“Não, eu liguei. Liguei para o quarto do hospital. Eu tinha recebido várias mensagens de voz do garoto, e liguei pro quarto do hospital.”
“Você se lembra do que Gavin te falou?”
“No telefonema do hospital? Ou qualquer uma das mensagens de voz?”
“Bem, vamos começar com as mensagens de voz.”
“Ok. As mensagens que recebi eram como, “Oh, eu sou um grande fã seu. Você é o maior”. Ele era excessivamente efusivo para um garoto de 12 anos de idade.”
“Quando você diz excessivamente efusivo, o que você quer dizer?”
“[o garoto disse] “Jay Leno, você é o maior”,” sabe, Eu te acho maravilhoso”. “Você é o meu heroi”, esse tipo de coisa, e pareceu um pouco estranho pra mim, por ser alguém tão jovem. Por que um comediante cinqüentão seria… Sabe? Eu não sou o Batman. Entende o que quero dizer? Me pareceu um pouco incomum. Mas… Tudo bem.”

Jay Leno disse ao júri que, na maioria das vezes, quando conversava com as crianças, era muito difícil fazê-las falar muita coisa. Em essência, Leno falou que era difícil conseguir fazer as crianças falarem algo importante nos telefonemas. Ele lembrou que, estranhamente, as mensagens que recebera de Gavin Arvizo pareciam vir de um adulto.
“Era… Soava como uma conversa de adulto. Isso me fez, sabe, estacionar o meu interesse no momento.”, Leno testemunhou.
Leno disse que recebeu outras três ou quatro mensagens semelhantes do menino, então, ligou no hospital e falou com garoto que estava “um pouco grogue” no momento. No banco das testemunhas, o comediante lembrou ter falado com Gavin Arvizo e com sua mãe, recordando que os chamou para visitar o estúdio do Tonight Show quando o rapaz melhorasse.

Leno falou que a mãe do garoto ficou muito grata pelo convite, e testemunhou que, posteriormente, falou com Louise Palanker, uma comediante do Laugh Factory, que tinha tomado um interesse nos Arvizos, que contou a Leno que Gavin e sua família tinham ficado muito emocionados ao falar com ele.
“Ok. Em algum ponto, você reclamou com Louise Palanker sobre as mensagens deixadas por Gavin?”, Mesereau queria saber.
“Não foi tanto quanto uma reclamação”, explicou Leno, “Eu só disse a ela: „Qual é a história aqui? Isso… Isso não soa como um garoto de 12 anos de idade. Isso soa como uma pessoa adulta‟. Eu acho que as palavras que usei [foram], „Parecia um pouco ensaiado o que ele falou‟.”
Leno afirmou que a comediante Louise Palanker tentou explicar o tom “ensaiado” das mensagens de Gavin, dizendo que o menino queria ser um comediante, que Gavin “escreve tudo antes de falar, então, ele meio que lê”.
Para Leno, a explicação de Palanker até que pareceu fazer um pouco de sentido. Jay Leno não estava ligando muito pra isso na época. “Esse foi apenas mais um dia normal no escritório, até esse ponto”, disse Leno.
“Você, alguma vez, perguntou à Louise Palanker quem estava escrevendo aquelas falas para Gavin?”, Mesereau perguntou.
“Não, não acho que tenha perguntado isso. Eu acho que apenas falei, sabe, que soou como algo ensaiado. Parecia… Não parecia soar como [uma criança]…”, Leno fez uma pausa, “E ela disse: „Bem, ele é muito maduro e quer ser um comediante, então, ele tem muita atenção no que diz. E eu respondi: „Oh, tudo bem‟.”
“Isso parecia incomum pra você?”
“Bem, era simplesmente incomum uma criança entrar diretamente em contato comigo, porque, na maioria dos casos, como eu falei, no mínimo, um pai, um médico ou uma enfermeira, um professor, o Phone Friends, Make-A-Wish, são essas pessoas que ligam e dizem: „Você vai receber uma ligação desse garoto ou dessa garota‟. Receber um telefonema da própria criança era um pouco incomum.”
“Quando você diz „ensaiado‟, você quer dizer que ele fingiu?”, Mesereau perguntou.
Mas a questão foi objetada.
“Em algum momento”, Mesereau continuou, “Você pediu à Gavin pra parar de ligar?”
“Eu pedi à Louise, eu disse: „Tenho recebido muitas dessas ligações…‟, e ela respondeu: „Oh, eu vou cuidar disso. Não se preocupe.
“E quando você disse isso à Louise, você queria que os telefonemas parassem?”
“Sim.”
“E por quê?”
“Porque era praticamente o mesmo tipo de ligações, várias e várias vezes.”
“O garoto parecia ligar mais do que a maioria das outras crianças?”
“Bem, a maioria das crianças não me liga.”, explicou Jay Leno, “Você liga pra elas, conversa, e é algo assim.”
“Você se lembra de a mãe dele estar ao fundo, durante essas ligações de Gavin?”
“Eu me lembro de alguém no fundo, mas não posso dizer se era a mãe. Poderia ser uma enfermeira. Me lembro de ouvir alguém falar enquanto ele estava conversando.”
Leno contou mais uma vez sobre a conversa com Gavin, que, segundo ele, foi muito breve. Ele lembrou ter perguntado ao menino como ele se sentia e disse que falou pra ele: “Ei, escute, mantenha suas esperanças.”
Enquanto estudavam Jay Leno, notando a sinceridade de sua voz, cada jurado tinha um olhar estranho em seu rosto. Era evidente que todos eles se lembraram de Gavin sentado no banco das testemunhas, afirmando que nunca falou com Jay Leno.

Sobre PoemforMJ

Michael ... "Quando olho no dentro dos seus olhos eu sei que é verdade.Deus deve ter gasto um pouco mais de tempo em você!"
Esse post foi publicado em Conspiração Michael Jackson by Afrodite Jones, Julgamento e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s