Livro Man in the music -Cap 7 – Invincible: Heaven Can’t Wait, You Rock My World

5.                HEAVEN CAN WAIT

(Escrita e composta por Michael Jackson, Teddy Riley, Andreao Heard, Nate Smith, Teron Beal. E. Laues, e K. Quiller. Produzida por Michael Jackson e Teddy Riley.
Coproduzida por Andreao Heard e Nate Smith.
Gravada por Teddy Riley, Bruce Swedien e George Mayers.
Edição digital: Teddy Riley e Geroge Mayers.
Mixada por Teddy Riley, Bruce Swedien e George Mayers.
Arranjada e orquestrada por Jeremy Lobbock.
Vocal guia: Michael Jackson.
Vocais backgrounds: Michael Jackson.
Vocais backgrounds adicionais: Dr. Freeze e “Que”)

 

 

A primeira das quatro colaborações para Invincible com o produtor de Dangerous, Teddy Riley, “Heaven Can Wait” é cada pedacinho tão suave quanto “Break of Dawn”, mas explora uma emoção diferente.
Com as firmes e texturizadas harmonias e clássico sentimento R&B, ela soa como uma atualizada variação dos Bee Gees. Muitos críticos elogiaram a música como uma das melhores ofertas do álbum.
Embora as faixas ritmos de Invincible apresentem um minimalismo mecânico, o sentimento aqui é caloroso e rico. A súplica passional de Jackson elabora uma batida balbuciante nos veros, antes de se dissolver como ar no refrão. Mark Anthony Neal a descreveu como “uma das melhores performances vocálicas de Jackson, desde ‘The Lady in My Life’ de Thriller”.
É uma música que, sem dúvida, tinha potencial para ser um grande hit R&B, tivesse a Sony lançando-a como single.

Jackson foi apresentado a uma demo anterior da faixa pelo produtor Teddy Riley. “Quando eu fiz esta música com ele”, recorda Riley, “ele segurou o coração dele e ele disse: ‘Teddy, isto é meu? ’ Eu disse: ‘É sua se você a quiser, Michael’. Ele meio que: ‘ Eu quero, vamos fazê-la! ’ Ele estava tão excitado… Ele disse: ‘Eu quero esta música. Eu preciso desta música na minha vida’”. Jackson, subsequentemente, refinou a estrutura, som e letra.

A música é sobre o desejo de escapar da morte. O cantor tem, finalmente, encontrado amor e alegria, mas teme, agora, que lhe sejam tomados. “Diga aos anjos não”, ele canta, “Eu não quero deixar minha amada sozinha”. Esse medo é, de algum modo, perfeitamente consistente com o trabalho anterior de Jackson. Mas enquanto faixas anteriores demonstravam isolamento (“deixe-me em paz”, “Billie Jean não é meu amor”), Jackson, agora, fala para um coletivo “nós”. “Apenas nos deixe em paz” (interessantemente, porém, na engasgada final, ele retorna ao “deixe-me em paz”). A emoção dolorosa transmitida nesses versos finais é genuína. O medo não é tanto pela morte em si, é mais pela separação e retorno à solidão. A faixa é uma súplica por tempo, amar e ser amado, sem interferência ou intrusão.

____________________________________________________________________________

6.     YOU ROCK MY WORLD

 
(Escrita e composta por Michael Jackson, Rodney Jerkins, Fred Jerkins III, La Shawn Daniels e Nora Payne.
Produzida por Michael Jackon e Rodney Jerkins.
Gravada por Brad Gilderman, Rodney Jerkins, Jean-Marie Horvat, Dexter Simmons e Stuart Brawley,
Edição digital por Harvey Mason Jr. e Stuart Brawley.
Mixada por Bruce Swedien e Rodney Jerkins.
Vocal guia: Michael Jackson.
Vocais backgrounds: Michael Jackson.
Introdução: Michael Jackson e Chris Tucker.
T
odos os instrumentos tocados por Michael Jackson e Rodney Jerkins)

 

 

“You Rock My World” foi o ultimo hit Top Ten da Billboard de Jackson, chegando ao 10º lugar nos Estados Unidos (a música se saiu melhor no exterior, onde alcançou o 1º lugar na França e o 2º no Reino Unido). Alguns críticos e fãs sentiram que Jackon estava simplesmente repetindo fórmulas e descreveu-a como “segura” e “não original”.
Outros, no entanto, viam-na como um retorno à forma. “[Ela é] a menos forçada dele, o mais contínuo simgle [em eras]”, escreveu David Browne, da Entertainment Weekly. “Uma rede simples, tensa, de resoluta batida dançante e cordas.”

O corte do álbum começa com uma leve troca humorística (e um pouco desajeitada) com o comediante Chris Tucker, que, mais uma vez, parece como uma tentativa de ser atual (por alguma razão é difícil imaginar Michael Jackson dizendo “Ela é um estouro”, sobre uma garota). Uma vez que as linhas de baixo se estabelecem, porém, ele desliza para dentro da música tão naturalmente quanto entra em uma luva de lantejoulas. Dalí, é um Michael Jackson vintage: uma batida pulsante, cordas exuberantes e uma performance vocálica que, como a Rolling Stone observou, “lembra o trabalho do cantor com Quincy Jones, pela forma como finamente esculturou e exuberantemente expressou faixas rítmicas e vibrantes harmonias vocálicas”.

Isso, na verdade, foi o que o coescritor, e coprodutor, Rodney Jerkins estava fazendo na música. “É como a volta de Michael à melodia”, ele explicou. “Isso faz você dançar. É uma música que faz você se sentir bem.”

Na verdade, a música energizada, contagiante, se mantem bem com outros similares clássico de dança de Jackson (“The Way You Make Me Feel”, “Remember the Time”, “P.Y.T”). “Jackson canta com mais sutileza funk do que ele tem em eras”, escreveu Jon Dolan, “Gelificando perfeitamente com cordas, harmonias exuberantes e um groove suntuoso.”

Livro Man In The Music – Cap 7 – Invincible : Butterflies, Speechless

 

Sobre PoemforMJ

Michael ... "Quando olho no dentro dos seus olhos eu sei que é verdade.Deus deve ter gasto um pouco mais de tempo em você!"
Esse post foi publicado em Livro Man In The Music e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s